SERVIDOR PÚBLICO PODE CONTRIBUIR PARA O INSS?

Servidores públicos que desejam ter 2 (dois) tipos de aposentadorias nos fazem muito
esta pergunta.
E a resposta é: servidor público vinculado ao regime próprio – RPPS, PODE SIM
contribuir para o regime geral – RGPS, SÓ QUE deve ser observado alguns pontos.

MAS O QUE É RGPS E RPPS?

O Brasil tem 2 (dois) tipos de regime público:

  • O RGPS – regime geral de previdência privada
  • O RPPS – regime próprio da previdência social

O RGPS é destinado para todo trabalhador que gera renda e também para aquele que
não possui remuneração, mas que gostaria de contribuir para ter acesso aos benefícios
do INSS.


Já o RPPS é destinado aos servidores públicos.

QUAIS OS TIPOS DE CONTRIBUITES DO INSS?


O INSS tem basicamente 2 (dois) tipos de contribuintes: os obrigatórios e os
facultativos.


Os contribuintes obrigatórios são os empregados que recebem remuneração e
também os contribuintes individuais que geram renda, também conhecidos como
“autônomos”.


Todo cidadão que desenvolve atividade que gera renda deve contribuir de forma
obrigatória.


Já os contribuintes facultativos, como o próprio nome diz, tem a opção ou não de
contribuir. E quando o fazem poderão ter acesso aos benefícios do INSS. Ex: dona de
casa, estagiário, estudante, etc

E SERVIDOR PÚBLICO PODE CONTRIBUIR PARA O INSS?

Pelo que já foi dito acima, se o servidor público desenvolver alguma atividade paralela,
e esta, atividade gerar renda, ele deve de forma OBRIGATÓRIA contribuir para o RGPS
do INSS.

E O SERVIDOR PÚBLICO PODE CONTRIBUIR COMO FACULTATIVO?

Neste caso, depende. Digo isto, pois a regra diz que o servidor público NÃO PODE
contribuir como contribuinte facultativo.


Mas há uma exceção!


É o caso de servidor que está afastado do serviço e não está recebendo os
vencimentos. Outro ponto que ainda deve ser observado é saber se no regime próprio
também não é possível contribuir dessa maneira.


Então, fique atento, pois se contribuir sem observar essas regras, as contribuições
serão indevidas os valores pagos não serão utilizados para o fim que se busca.

E SE CONTRIBUI ANTES DE ENTRAR NO SERVIÇO PÚBLICO?

Em caso de contribuições que não foram concomitantes, é possível aproveitar o
período e averbar. Assim aumentará o tempo o tempo de contribuição.


Espero que este breve texto tenha te ajudado. Persistindo a dúvida, busque a
orientação de um advogado especialista em direito previdenciário.


Até a próxima.
Delcyane Cetto, Advogada sócia da Resende&Cetto

Continue lendo

Quem leu também gostou destas notícias:

IMPORTANCIA DO CALCULO ANTES DE FAZER O PEDIDO DA APOSENTADORIA

IMPORTÂNCIA DO CÁLCULO ANTES DE FAZER O PEDIDO DA APOSENTADORIA

Há um crescente número de processos negados indevidamente pelo INSS e, isto causa sentimentos de indignação e ansiedade naqueles que passaram a vida trabalhando na esperança de ter na velhice, seu merecido descanso.

Muitos destes processos negados poderiam ser evitados, caso o segurando ANTES de fazer o
pedido da aposentadoria, tivesse consultado um especialista em direto previdenciário para fazer uma analise documental, fazer os cálculos e os devidos acertos, caso necessite.

NUNCA PAGUEI INSS. POSSO ME APOSENTAR?

NUNCA PAGUEI INSS. POSSO ME APOSENTAR? APOSENTADORIA POR IDADE SEM TER CONTRIBUÍDO É POSSÍVEL?

Muitos clientes procuram o escritório Resende&Cetto Advocacia, querendo saber se podem se aposentar mesmo sem ter contribuído ou ter contribuído poucos anos para o INSS.
Vale lembrar que, quem trabalha com carteira assinada, a empresa obrigatoriamente, tem que pagar o INSS para o empregado.
Ocorre que, têm muitos trabalhadores que também geram renda sem ter a carteira assinada, como por exemplo, os autônomos.
Para estes tipos de trabalhadores a solução é contribuir para o INSS via pagamento da GPS (Guia da Previdência Social), também conhecida como “carnê do INSS”.

Dúvidas frequentes sobre Aposentadoria

Dúvidas frequentes sobre Aposentadoria. Tudo o que você deseja saber.

Prometemos selecionar as dúvidas mais frequentes de nossos seguidores nas redes sociais e responde-las em nosso blog, sem rodeios e nem juridiquês. Logo, missão cumprida! Para a leitura não ficar cansativa, vamos desmembrar o assunto em diversos blogs com limite de 10 respostas em cada edição. Então sinta-se a vontade para continuar enviando suas dúvidas, pois teremos o prazer de responde-las, afinal vocês são o combustível de nosso trabalho.