NUNCA PAGUEI INSS. POSSO ME APOSENTAR? APOSENTADORIA POR IDADE SEM TER CONTRIBUÍDO É POSSÍVEL?

NUNCA PAGUEI INSS. POSSO ME APOSENTAR?

Muitos clientes procuram o escritório Resende&Cetto Advocacia, querendo saber se podem se aposentar mesmo sem ter contribuído ou ter contribuído poucos anos para o INSS.

Vale lembrar que, quem trabalha com carteira assinada, a empresa obrigatoriamente, tem que pagar o INSS para o empregado.

Ocorre que, têm muitos trabalhadores que também geram renda sem ter a carteira assinada, como por exemplo, os autônomos.

Para estes tipos de trabalhadores a solução é contribuir para o INSS via pagamento da GPS (Guia da Previdência Social), também conhecida como “carnê do INSS”.

Há ainda, os trabalhadores que não geram renda, mas que trabalham e muuuito, que são as donas de casa. Estas também podem buscar a proteção da Previdência Social através do pagamento do “carnê do INSS”.

Mas infelizmente, muitos por falta de orientação ou devido a dificuldades financeiras deixam de contribuir para o INSS, imaginando que conseguirão se aposentar e ter o merecido descanso, pois já chegou a idade e, estão com sua força de trabalho e saúde comprometidos.

Acontece que, somente tem acesso e consegue usufruir dos benefícios do INSS os seus segurados, ou seja, aqueles que contribuíram para a previdência social.

Através das contribuições e atendidos alguns requisitos, a pessoa conseguem ter acesso a diversos benefícios da previdência, como:

  • Aposentadorias
  • Pensão por morte
  • Auxílios por incapacidade (auxilio doença, auxílio doença)
  • Auxílio reclusão e, outros

Assim, quem NUNCA contribuiu para o INSS, NÃO CONSEGUE SE APOSENTAR.

QUEM TEM DIREITO A APOSENTADORIA POR IDADE?

Quem começou a trabalhar ANTES da Reforma da Previdência, mas até 12/11/2019 não completou a idade e nem o tempo de contribuição, se encaixa na seguinte regra de transição:

  • HOMEM: 65 anos de idade  + 15 anos de tempo de contribuição
  • MULHER: 61 anos de idade (em 2021), 61 anos e 6 meses (em 2022) e 62 anos (em 2023)  +  15 anos de contribuição

Vale lembrar que, o requisito idade e tempo de contribuição são cumuláveis, ou seja, é necessário preencher os 2 (dois) requisitos para se aposentar por idade.

Agora, pra quem começou a trabalhar APÓS a Reforma da Previdência, os requisitos alteraram, sendo eles:

  • HOMEM: 65 anos de idade   +  20 anos de tempo de contribuição
  • MULHER: 62 anos de idade  +  15 anos de tempo de contribuição

SE NÃO CONSIGO ME APOSENTAR, O QUE VOU FAZER?

A notícia boa é que há um tipo de benefício que é possível de ser alcançado por aqueles que NÃO contribuíram ou contribuíram pouco para o INSS.

Esse benefício é o conhecido BPC (Benefício de Prestação Continuada), garantido pela Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS.

Para ter acesso ao BPC é necessário atender há alguns requisitos, sendo eles:

  • Idoso com ou mais de 65 anos
  • Deficiente físico ou mental (de qualquer idade), que não consiga por meios próprios ou da família prover o próprio sustento.
  • A renda dos familiares que residem sob o mesmo teto, não deve ultrapassar ¼ salário mínimo, ou seja, R$ 275,00 por pessoa.
  • Ser considerado de baixa renda
  • Estar inscrito e com o CadÚnico atualizado (Cadastro Único de Programas Sociais do Governo federal).

Vale destacar que, o governo costuma alterar a regra de calculo do valor da renda familiar.

Assim a orientação é que: antes de requerer o BPC/LOAS, certifique-se qual o valor da renda per capita exigida pelo governo naquele momento.

Outros pontos importantes sobre o BPC e, que geram muitas dúvidas:

  • O BPC não é uma aposentadoria
  • Não gera 13º salário
  • Os dependentes não recebem pensão por morte
  • Pode ser suspenso ou cancelado a qualquer momento, a depender da atual situação financeira do beneficiário.

O QUE FAZER PARA AUMENTAR A CHANCE DE O BENEFÍCIO SER APROVADO?

É muito comum as pessoas acreditarem que tem direito a uma aposentadoria ou ao BPC/LOAS e acabam requerendo sozinhos os benefícios junto ao INSS, sem o auxílio de um advogado.

Informamos que é possível sim fazer o pedido sozinho, no entanto, a ajuda de um advogado especialista em direito previdenciário é de fundamental importância, pois ajudará em muito no alcance do melhor benefício e, ainda reduzirá o tempo de espera da decisão do INSS.

Não basta dizer que tem o direito, é necessário demonstrar e provar através de documentos.

Quem faz um requerimento sem provas ou com provas que colocam o servidor do INSS em dúvida, corre o risco muito grande de o pedido se arrastar por anos ou até mesmo ter o seu pedido negado.

Ademais, com a presença de um advogado responsável pelo processo, há a possibilidade de ser impetrado o Mandado de Segurança, no qual o advogado informará ao juiz que o INSS não está respeitando o prazo da lei para decidir o processo e o quanto que a demora o está prejudicando.

Bom, vou ficando por aqui!

Espero ter ajudado, mas se ainda ficou com dúvidas busque a orientação de um advogado especialista em direito previdenciário para que ele possa auxiliá-lo.

E, não se esqueça de compartilhar nosso conteúdo.

Um grande abraço!

Delcyane Cetto, Advogada sócia da Resende&Cetto

Continue lendo

Quem leu também gostou destas notícias:

SERVIDOR PÚBLICO PODE CONTRIBUIR PARA O INSS?

SERVIDOR PÚBLICO PODE CONTRIBUIR PARA O INSS?

Servidores públicos que desejam ter 2 (dois) tipos de aposentadorias nos fazem muito
esta pergunta.
E a resposta é: servidor público vinculado ao regime próprio – RPPS, PODE SIM
contribuir para o regime geral – RGPS, SÓ QUE deve ser observado alguns pontos.

IMPORTANCIA DO CALCULO ANTES DE FAZER O PEDIDO DA APOSENTADORIA

IMPORTÂNCIA DO CÁLCULO ANTES DE FAZER O PEDIDO DA APOSENTADORIA

Há um crescente número de processos negados indevidamente pelo INSS e, isto causa sentimentos de indignação e ansiedade naqueles que passaram a vida trabalhando na esperança de ter na velhice, seu merecido descanso.

Muitos destes processos negados poderiam ser evitados, caso o segurando ANTES de fazer o
pedido da aposentadoria, tivesse consultado um especialista em direto previdenciário para fazer uma analise documental, fazer os cálculos e os devidos acertos, caso necessite.

Dúvidas frequentes sobre Aposentadoria

Dúvidas frequentes sobre Aposentadoria. Tudo o que você deseja saber.

Prometemos selecionar as dúvidas mais frequentes de nossos seguidores nas redes sociais e responde-las em nosso blog, sem rodeios e nem juridiquês. Logo, missão cumprida! Para a leitura não ficar cansativa, vamos desmembrar o assunto em diversos blogs com limite de 10 respostas em cada edição. Então sinta-se a vontade para continuar enviando suas dúvidas, pois teremos o prazer de responde-las, afinal vocês são o combustível de nosso trabalho.